Cabras contra incêndios e pela economia (Serra d´Aire)

Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros

Serra d´Aire (imagem daqui)

“Quercus avança este mês com o trabalho “no terreno” para a preservação dos habitats da Serra de Aire. Promoção do pastoreio, prevenção de fogos e dinamização da economia local são as apostas do programa Habitats Conservation, lançado em Janeiro deste ano e comparticipado pelo programa Life+ da União Europeia.
A intervenção, que terá lugar nas freguesias de Fátima, concelho de Ourém, e Pedrógão, concelho de Torres Novas, prevê o pastoreio com 400 cabras e o controlo selectivo da vegetação por processos mecânicos. Associado a estas acções está o incentivo para a dinamização de actividades económicas que vão de encontro ao objectivo de conservação.
(…) A colheita e comercialização sustentáveis de plantas aromáticas, medicinais e condimentares e a certificação biológica de produtos como o cabrito e o queijo são parte do plano de “criação de uma economia de simbiose” que preserve os habitats e, ao mesmo tempo, melhore a qualidade de vida da população interveniente. (…) (sacado daqui)

Concentração de Minis e Clássicos de Ermesinde

A Junta de Freguesia de Ermesinde vai realizar a 3ª. Concentração Minis e Clássicos, no próximo dia 18 de Setembro.

A concentração terá lugar, pelas 10,00 horas, junto ao Edifício da Junta (Rua D. António Ferreira Gomes, nº. 365), a que se seguirá um passeio por algumas ruas da Cidade.

Na parte da tarde, realizar-se-á a 1ª. edição do Rally Paper “À Descoberta de Ermesinde”, com inscrição gratuita e livre, tendo esta inicitiva como objectivo, dar a conhecer a Cidade de uma forma divertida, servindo para mostrar aos Ermesindenses estes pequenos carros e os clássicos que se tornaram um ícone do século XX.

Será um percurso interessante e variado entre o passado e o presente, através de um desfile pelas ruas desta Cidade, com a oportunidade de mostrar, não só os pontos culturais e de lazer como também o comércio e serviços da Freguesia.

Gamado, aqui.

Hortas comunitárias (Torre de Moncorvo)

(imagem daqui)

Economia, produção local, consciencialização ambiental: uma excelente iniciativa da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo.

“A medida vai beneficiar 150 famílias. As hortas serão criadas num terreno do município situado na Quinta da Fonte de Carvalho (…) “A cada munícipe interessado é atribuído gratuitamente um talhão de 30 a 50 metros quadrados onde pode dedicar-se à agricultura e cultivar verduras e legumes, árvores de fruto, plantas medicinais, aromáticas e condimentares”, explica o município.” (sacado daqui)

Lourinhã vai ter ‘Parque Jurássico’

A Câmara Municipal da Lourinhã abriu um concurso para acolher propostas para o futuro parque museológico que será construído até 2015.

Trata-se de um parque temático que envolve um “moderno museu”, vocacionado para a “divulgação do importante património jurássico da região”, cujo conteúdo tem por base o acervo paleontológico até agora exposto no Museu da Lourinhã, explica ao Ciência Hoje Hernâni Mergulhão.
Segundo o presidente da Direcção do Museu da Lourinhã um parque como este é muito importante para Portugal, pois trata-se da primeira realização deste tipo e com esta escala em território nacional.

Na península Ibérica existem três concentrações notáveis de património jurássico, duas delas já possuem unidades museológicas na Colunga, o Museo Jurásico de Astúrias, e em Teruel, o complexo Dinópolis.

A unidade que vai ser construída na Lourinhã completará este triângulo natural. “As condições de exibição, de explicação e de acondicionamento do acervo serão potenciadas pela actividade científica que sempre caracterizou o Museu da Lourinhã e que terá agora um importante acréscimo de meios físicos”, afirma Hernâni Mergulhão.

Por outro lado, sublinha o responsável, “espera-se que o incremento da notoriedade deste património contribua significativamente para o desenvolvimento da economia envolvente, desde logo o que decorrerá do aumento da afluência de novos públicos a esta região”.

Ao ar livre

No edital do concurso, a Câmara Municipal da Lourinhã esclarece que “pretende recolher propostas criativas, que incluam conceitos científicos e pedagógicos para o desenvolvimento de um parque museológico, com forte componente ao ar livre”.

A autarquia prevê investir 10 milhões de euros no projecto, incluindo a construção de edifícios e outras infra-estruturas e a aquisição de conteúdos museológicos. O conceito científico do projecto deverá abranger a apresentação da evolução dos vertebrados na Terra até à actualidade e incluir no percurso de visita as descobertas paleontológicas do concelho da Lourinhã.

Localização privilegiada

O terreno destinado ao Museu do Jurássico encontra-se a cinco quilómetros a Norte da Lourinhã, a Oeste da freguesia de São Bartolomeu dos Galegos, numa área total de 36,7 hectares.

A Lourinhã desfruta de uma localização privilegiada, quer do ponto de vista geológico, quer do ponto de vista geográfico. “A carta geológica encontra nesta zona a fronteira com o oceano, sujeitando o afloramento jurássico à erosão marinha, além disso a flora nestas orlas é tipicamente escassa, o que também facilita a exposição das camadas mais relevantes”, explica Hernâni Mergulhão.

As ideias base para a concepção do futuro parque estão já definidas, no âmbito da continuada cooperação entre a Câmara Municipal da Lourinhã e o Grupo de Etnologia e Arqueologia da Lourinhã, mas a entidade que venha a ser seleccionada, através do presente concurso, “terá uma importante palavra no que respeita à concretização e à operacionalização” do novo projecto, esclarece.

Segundo o responsável, a última versão do Plano Estratégico da Lourinhã define este projecto como uma “realização a concretizar até 2015”.

Gamado, aqui.

Desfolhada e Malhada Típica em Esposende

A Câmara Municipal de Esposende e o Grupo de Cantares e Dançares de S. Paio de Antas, em colaboração com os agrupamentos folclóricos do concelho, vão organizar uma Desfolhada e Malhada típica no próximo dia 17.

Esta actividade agrícola tradicional está aberta à comunidade em geral e terá início com a saída em cortejo dos elementos dos ranchos participantes, ao que se segue, sob cânticos, o “virar do carro”, a desfolhada, na esperança de encontrar o milho-rei, bem como o malho das espigas, uma merenda colectiva e as rusgas ao som das tocatas dos grupos folclóricos.

Neste dia, às 15h00, no mesmo local, realizar-se-ão jogos tradicionais e venda de produtos locais.

Gamado, aqui.

Rota do Petisco (Portimão)

imagem daqui

“A julgar pela adesão dos primeiros dias, a Rota do Petisco de Portimão está a ter grande recetividade e muita gente já aceitou o desafio de partir à descoberta dos melhores sabores da gastronomia e da doçaria locais em 23 restaurantes e oito pastelarias, a preços anti-crise.

Esta iniciativa da Associação Teia D’Impulsos, que tem o apoio da câmara de Portimão e decorre até 2 de outubro, pretende estimular um percurso pelo centro da cidade e Praia da Rocha, na degustação de variadas ementas, tendo por base os produtos locais.

O preçário é assumidamente popular, pois a modalidade “petisco” é composta por um prato e uma bebida por 2,5 euros, enquanto a modalidade “doce regional” inclui uma sobremesa e bebida, com o preço de dois euros, estando sempre disponíveis algumas alternativas à bebida proposta no menu de cada estabelecimento.

Algumas das especialidades ao dispor são as papinhas de berbigão, a feijoada de lingueirão, a açorda com filete pirilau ou a salada de ovas, que podem ser acompanhadas por vinhos da Região Vitivinícola de Portimão e rematadas pela doçaria de inspiração regional, de que são exemplos o bolo de alfarroba, o doce fino ou o Dom Rodrigo.” (sacado daqui)

Chocalhos – Festival dos Caminhos da Transumância (Fundão)

É a 10.ª edição do Festival dos Caminhos da Transumância, mais conhecido como Chocalhos. A par da descoberta dos trilhos antigos dos pastores está a tradição musical associada àquele instrumento pastoril. O palco é o Fundão, entre 16 e 18 de Setembro.

O festival não vive só de chocalheiros. A animação musical envolve outras tradições, com especial destaque para a redescoberta da gaita-de-foles, instrumento do ciclo pastoril com vincada tradição em Portugal.

A par dos muitos concertos, há passeios, desfiles, conversas, lançamentos de livros e discos, teatro, animação de rua, oficinas e muito mais.