Archive for the ‘Diáspora’ Category

Portugal pelo mundo: WHPO

“A Rede WHPO [World Heritage of Portuguese Origin, Património Mundial de Origem Portuguesa] tem como objectivo promover a cooperação entre os países com património cultural de influência portuguesa, colocando à disposição de todos os parceiros instrumentos que facilitem o acesso ao património mundial da UNESCO. A isto, está subjacente a intenção de promover a capacidade para a gestão integrada de património já inscrito na UNESCO ou para a elaboração de listas indicativas.”
daqui

A iniciativa parte da Universidade de Coimbra e agrega os países que, de uma forma geral, estiveram presentes na eleição das “7 Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo”; não só as ex-colónias portuguesas, mas também todos aqueles países que serviram de apoio ao império marítimo português nos séculos XVI e XVII e aos quais não associávamos Portugal, como é o caso da Tanzânia, do Quénia, ou do Barém.
Mesmo assim, ainda há algumas ausências importantes, nomeadamente a Malásia, onde se situa a cidade de Malaca e onde, além das pedras que falam de Portugal, existe ainda uma componente que o Barém ou o Quénia não têm: pessoas que se identificam com Portugal.

http://www.youtube.com/v/MzvoUNj3kUY?fs=1&hl=pt_PT

Segunda geração sem complexos

http://www.youtube.com/v/PRIuMq-tyZg?fs=1&hl=pt_PT

«Rodolfo Ferreira Ribeiro, 26 anos, (…) voltou-se para o que rodeava, para a sua própria família, e transformou as suas características em material humorístico. “As minhas paródias resumem uma parte da minha vida que eu transformo em sketches, como por exemplo o regresso a Portugal nas férias do Verão. A personagem do António é familiar a todos. Toda a gente conhece um António à sua volta.”

Rodolfo insiste, porém, que está empenhado em inovar estas caricaturas e “trazer novas ideias para o circuito do humor”.

Lionel [assim mesmo, com um i] Cecílio, também ele luso-descendente, actor e que teve em cena o espectáculo Suite Royale 2026, no qual parodiava as suas raízes portuguesas, confirma que também se inspirou em quem o rodeia: “Comecei a imitar as pessoas que estavam à minha volta – as tias, os avós… – e a transformar em gozo as situações e as pessoas que tinham valor para mim. Se eu gozasse com pessoas de quem não gosto, isso seria apenas maldade. Não teria piada.”

Durante muito tempo não se abordou esta questão. Não se queria olhar para trás. E aqui há finalmente um olhar para trás, mas um olhar do caricato. No fundo, trata-se de ir buscar aquilo que os franceses acham de nós e brincar com isso (…). Já houve distanciamento suficiente para as pessoas se rirem disso”, diz o director do Luso-Jornal. Até porque, sublinha, o “português da caricatura humorística já não corresponde de maneira nenhuma ao português que emigra hoje para França”.

Ana Veloso comenta, por seu lado, outro aspecto deste fenómeno de reacção dos portugueses à autocrítica: “Confesso que até fiquei surpreendida com o entusiasmo da segunda geração em relação a este tipo de escárnio, porque alguns desses jovens foram vítimas dos estereótipos ligados à comunidade portuguesa.”»
Artigo completo aqui.

Não há dúvida: as segundas e terceiras gerações de portugueses gostam de Portugal. Porque não haveríamos nós de gostar?

Protocolo luso-brasileiro visa a preservação do cavalo lusitano

As associações portuguesa e brasileira de criadores do cavalo lusitano firmaram um protocolo que define as normas científicas para a reprodução e o apuramento desta raça no Brasil, país onde este animal genuíno de Portugal começa a suscitar cada vez mais interesse.

Firmado no passado dia 1 de Outubro, o acordo entre a Associação Portuguesa de Criadores do Cavalo Puro Sangue Lusitano (APSL), a Associação Brasileira de Criadores do Puro Sangue Lusitano e a Fundação Alter Real foi homologado pelo ministro da Agricultura, António Serrano, na quinta-feira, 11 de Outubro, na Golegã, durante a XXIV Feira Nacional do Cavalo.

Ver artigo completo n´O Ribatejo

Clube Militar de Macau acolhe Festival de Gastronomia e Vinhos Portugueses

O Clube Militar de Macau acolhe entre 13 e 28 de novembro mais um festival de gastronomia e vinhos de Portugal, um evento que já é tradição no clube desde dezembro de 1999.

Na edição 2010 do Festival, além dos importadores locais que apoiam o clube militar na mostra de vinhos, dos brancos aos roses, passando pelo moscatel e pelos espumantes, o restaurante do Clube Militar vai receber os pratos confecionados pelos chefes Marco Gomes, proprietário do restaurante “Foz Velha”, e Luís Américo, dono do restaurante “Mesa”, ambos na cidade do Porto.

Ao longo das duas semanas do Festival os dois chefes vão percorrer a gastronomia e a doçaria portuguesa de norte a sul do país numa mistura de costumes de sabores variados.

O restaurante do Clube Militar de Macau é uma referência da gastronomia portuguesa reconhecida pelo Guia Michelin.

Gamado aqui

Vinho Madeira promovido na Escócia e na Alemanha

O Instituto do Vinho, do Bordado e do Artesanato da Madeira, IP, em articulação com o sector do Vinho Madeira, realizam esta semana mais uma ronda de provas dirigidas a profissionais do mercado europeu, nomeadamente na Escócia e Alemanha. A presença na Escócia enquadra-se numa óptica de reforço e consistência da estratégia promocional, num dos mercados mais relevantes para o Vinho Madeira – o Reino Unido.

Ontem decorreu a prova em Edimburgo, onde para além da realização de uma prova aberta, tiveram lugar duas provas comentadas, uma durante a tarde. Já amanhã terá lugar a prova anual de Vinho Madeira no mercado alemão. Com o apoio logístico e operacional da delegação do AICEP sediada naquele mercado, esta prova decorrerá na cidade de Hamburgo.

Estas acções inserem-se no Projecto Promocional de Vinho Madeira, sendo co-financiadas no âmbito do projecto Intervir+.

Gamado aqui

Vinhos do alentejo na Suiça

Os Vinhos do Alentejo estarão em prova em Lausanne, na Suíça, no próximo dia 19 de Outubro (terça-feira). Trata-se de nova edição promocional em mercados externos organizada pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), com o objectivo de reforçar o posicionamento dos vinhos desta região portuguesa.

No Hotel Lausanne – Palace Spa, entre as 15h e as 20h, jornalistas, líderes de opinião, trade e consumidores poderão provar os novos lançamentos de mais de 20 produtores de vinho alentejano, região detentora da maior quota de mercado do vinho português. Será ainda realizada uma degustação orientada pelo jornalista suíço Pierre Thomas, sob o tema “A Descoberta do Alentejo”.

A Suíça é, na actualidade, o quarto principal mercado de exportação dos vinhos alentejanos, com 812.000 (oitocentos e doze mil) litros de vinho adquiridos em 2009.

A representação portuguesa será composta pelos seguintes produtores: Adega Cartuxa – Fundação Eugénio de Almeida, Adega Cooperativa de Redondo, Adega Mayor – Grupo Nabeiro, Bacalhôa Vinhos de Portugal, S.A., Carmim, Encostas de Estremoz, Enoforum, Gloria Reynolds, Granadeiro – Vinho de Autor, Herdade da Calada, Herdade dos Grous, Herdade São Miguel, Monte da Raposinha, Mouchão, Paço do Conde, Quinta Das Arcas, Quinta do Zambujeiro, Roquevale, Sogrape Vinhos SA, Terras de Alter, Companhia de Vinhos, Lda.

Gamado aqui

Vinho do Porto cresce no Brasil

O vinho é tradicionalmente um dos produtos que Portugal mais exporta para o Brasil. Mas há um em especial que está a ganhar destaque entre os consumidores brasileiros.

Nos primeiros oito meses deste ano as vendas de vinho do Porto para o Brasil cresceram 32,5% face a 2009, atingindo um volume de negócios superior a 3,1 milhões de euros.

Entre janeiro e agosto, os produtores portugueses facturaram 3,1 milhões de euros com a venda de vinho do Porto para o Brasil, mais 32,5% que no ano passado.

O crescimento das vendas de vinho do Porto para o Brasil é significativo. O crescimento total registado pelo Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP) é de 7,6%, para uma facturação de 200,1 milhões de euros. O mercado brasileiro fica, portanto, bastante acima da média de expansão das vendas de vinho do Porto.

Ver artigo completo no Portugal Digital