Archive for the ‘Empreendedorismo’ Category

>Municípios transmontanos peparam incubadoras de empresas

>

As Câmaras de Boticas, Montalegre e Ribeira de Pena assinaram, na quarta-feira passada, um protocolo com a Associação Nacional de Jovens Em-preendedores (ANJE), com vista à criação, em cada concelho, de uma incubadora de empresas. A ideia é promover o empreendedorismo e, desta forma, contribuir para a fixação de população.

De acordo com o protocolo assinado, aos municípios caberá disponibilizar o espaço, para a germinação das ideias, alguns equipamentos de apoio e ainda atribuir 250 euros mensais a cada empresário que se instalar na rede de incubação. Por sua vez, a ANJE terá que disponibilizar técnicos para prestar assessoria e aconselhamento.

“É uma mais-valia para o interior porque os jovens saem da região à procura de emprego e este centro pode ser um atractivo para cá ficarem”, defendeu, durante a cerimónia de apresentação do projecto, que decorreu em Boticas, Fernando Queiroga, da Câmara de Boticas, que irá instalar o centro de incubação no edifício de Relações Públicas da Feira Municipal.

Em Montalegre, o equipamento vai ficar instalado no Pavilhão Multiusos, e, para o autarca montalegrense, Fernando Rodrigues, “vai ajudar os jovens a porem as suas ideias em prática porque vão ter apoio técnico, aconselhamento e assessoria”.

Ver artigo completo aqui

>Mais financiamento para empreendedorismo na Beira Interior

>

As Comunidades Intermunicipais das Beiras (Comurbeiras) e da Serra da Estrela são duas das contempladas com financiamento para projetos de empreendedorismo local, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e do Mais Centro – Programa Operacional Regional do Centro.

A Comurbeiras receberá um montante que ronda os 270 mil euros, para um projecto ligado à área da Internet. Já à Comunidade Intermunicipal da Serra da Estrela será atribuído um valor de 116 mil euros destinado ao desenvolvimento de uma Rede Integrada de Apoio ao Empreendedorismo e ao Empreendedor.

Os projetos surgem enquadrados no Programa de Empreededorismo de Base Local, uma medida política promovida pelo Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação (IAPMEI), e que visa a promoção de oportunidades de auto-emprego. Através desta medida, pretende-se sensibilizar os cidadãos para o empreendedorismo, auxiliando-os no caso de quererem criar uma empresa e no acompanhamento dos primeiros anos desse negócio.

Ver artigo completo aqui

>Ponte de Lima vai ter um boutique hotel em meio rural

>

Tirar partido da ruralidade que caracteriza o concelho de Ponte de Lima é a principal aposta do Carmo”s Boutique Hotel que deverá abrir no início do próximo ano, na freguesia de Gemieira.

Equivalente a um hotel de cinco estrelas, a nova unidade de alojamento pretende marcar a diferença oferecendo serviços que proporcionam aos hóspedes vivências tipicamente rurais.

Iniciativa de um grupo de investidores locais e do Porto, a construção da nova unidade hoteleira implicará um investimento da ordem dos dois milhões de euros. A unidade de luxo está a nascer a cinco minutos de distância do centro da vila e muito próximo dos principais acessos viários do Minho e da Galiza.

O projecto, da autoria do arquitecto J.M. Carvalho Araújo, enquadra-se na filosofia definida para o projecto que pretende conciliar “o passado, de uma terra repleta de tradição, humanidade, modernidade e inovação”.

O empreendimento integrará uma quinta, que privilegiará as raças autóctones, hortas e todo o tipo de actividades ligadas ao campo, promovendo “os produtos de excelência do mundo rural”, e possibilitando aos visitantes desfrutar dos produtos tradicionais do concelho.

Ver artigo completo no Público

Como os produtos tradicionais competem e ganham

Pegaram em negócios tradicionais a que estão a dar a volta. Graças à sua estratégia estão a exportar e a crescer. Saiba como daqui a três anos, a FEB quer vender por mês a quantidade de café que hoje vende num ano. E como o Facebook consegue impulsionar a estratégia dos sapatos de luxo Luís Onofre.

A inovação é o principal denominador comum entre a Luís Onofre a FEB e está a servir de arma para conquistar mercado em indústrias tradicionais. Ambas as empresas trabalham em sectores competitivos, com tradição no mercado nacional e ainda conseguem exportar.

A edição de Dezembro da INVEST mostra como é possível pegar em negócios tradicionais e, através da inovação, aumentar ganhos e elevar o valor acrescentado, quer dos produtos, quer das empresas.

No caso da Luís Onofre, a empresa homónima do criador de sapatos por trás do seu sucesso, a INVEST conta a história da ascensão da marca e os pormenores que transformam estes sapatos em objecto de desejo – calçados por mulheres ricas e poderosas (como a princesa Letízia de Espanha).

Ver artigo completo na Invest