Archive for the ‘Energia’ Category

>Leiria reforça aposta nos veículos eléctricos

>

O novo carro eléctrico da Peugeot já chegou a Leiria e pode ser experimentado, até hoje, junto às Piscinas Municipais. O roadshow ‘Electric Tour’ levará o económico iOn a mais quinze cidades do País

Por apenas dois euros, o novo Peugeot eléctrico pode percorrer 150 quilómetros sem necessidade de carregamento adicional. Silencioso e sem quaisquer emissões de dióxido de carbono, o novo iOn chegou, ontem, a Leiria para se dar a conhecer enquanto uma alternativa viável para o bem do meio-ambiente.
Ideal para circular em contexto urbano, o veículo alia, por isso, as vantagens, para o ambiente, da utilização das energias renováveis à lógica da poupança.

Apesar do elevado preço, na ordem dos 35 mil euros, o investimento poderá compensar a longo prazo, dados os reduzidos custos com a manutenção da viatura e com o abastecimento. “O custo pode ser elevado, mas em contrapartida é um investimento que, a prazo pode ser vantajoso.

Em termos de carregamento vai ter preços quatro vezes inferiores ao preço da gasolina, e o valor da gasolina tem tendência a manter-se ou a aumentar ainda mais. Além disso, os carros eléctricos não têm manutenção”, referiu Maria João Rocha, da Mobi.e.

Ver artigo completo aqui

>Ecoldiesel chega ao fim

>

Trazia promessas de sucesso e inovação mas, sete anos depois, a Ecoldiesel – empresa que produzia biocombustíveis em Belmonte – chega ao fim. O Tribunal da Covilhã aceitou o pedido de insolvência, apresentado pelo acionista maioritário, a Santa Casa da Misericórdia local.

Para o provedor, João Gaspar, «o assunto está encerrado» e agora resta apenas esperar pela venda do património para pagar aos credores.

Na sua opinião, houve vários atrasos e percalços que contribuíram para que o negócio falhasse. «Primeiro, o licenciamento demorou muito a obter junto do Ministério da Economia e depois da empresa já estar constituída, surgiu entretanto legislação que nos obrigava a ter mais licenças ao nível geológico.

Além disso, a transferência das instalações para o parque industrial também demorou», recorda o responsável, que chegou a ser administrador da empresa.

O projeto surgiu há quase dez anos e, na altura, começou por ser desenvolvido pela Empresa Municipal de Belmonte, tendo sido mais tarde aproveitado pela Santa Casa da Misericórdia. A ideia era aproveitar o óleo alimentar, utilizado na área da restauração, para produzir biocombustível.

Ver artigo completo aqui