Archive for the ‘Investigação’ Category

Investigador português premiado com estudo sobre vinho

Estudo revela que produtores e intermediários não têm uma perceção correta sobre os aspetos que os consumidores de vinho mais valorizam.

Um investigador da Universidade Fernando Pessoa, no Porto, foi premiado por um estudo em que conclui que “os consumidores possuem uma perceção mais clara e distinta dos atributos do vinho” do que os intermediários e produtores.

A investigação de Paulo Ramos, docente no estabelecimento de ensino, intitula-se “As diferenças na perceção dos atributos do vinho: um estudo comparativo entre consumidores, produtores e intermediários” e acaba de ser distinguido pela Organização Internacional do Vinho e da Vinha – OIV, cujo 34.º congresso decorreu de 20 a 27 de junho, no Porto.

Depois de concluir o trabalho, Paulo Ramos notou que “o setor dos vinhos está pouco orientado para o mercado, confiando demasiado nos intermediários” e nos respetivos conhecimentos, de natureza essencialmente empírica.

“Os intermediários conhecem mal o mercado”, acrescenta, referindo que as suas conclusões dizem respeito à “generalidade” deste setor, “na maior parte constituído por pequenas e médias empresas”.

Ver artigo completo aqui

Anúncios

>Investigadores encontram alga que não era vista há 50 anos

>

Um grupo de investigadores do Centro de Ciências do Mar (CCMAR), da Universidade do Algarve, descobriu uma espécie de alga que não era vista há mais de 50 anos na Ria Formosa.    

A descoberta ocorreu no âmbito dos trabalhos de transplante de uma pradaria marinha que se encontrava junto das obras em curso no canal da Fuzeta, anunciou hoje a Sociedade Polis Litoral Ria Formosa em comunicado.

“Estávamos a monitorizar, em mergulho, as pradarias de Zostera marina (cebas) do local quando uma colega estranhou o tamanho de algumas folhas. Nunca tínhamos visto esta alga em muitos anos de investigação na Ria Formosa e ficámos surpreendidos”, explica Alexandra Cunha, coordenadora dos trabalhos.

De regresso ao laboratório do CCMAR, os cientistas puderam constatar que a alga, com o nome científico de Caulerpa prolifera, já tinha sido identificada na Ria Formosa em 1845 pelo médico e naturalista austríaco Frederico Welwitsch.

Ver artigo completo aqui

>Seia quer criar Centro de Investigação do Queijo

>

Seia foi a primeira capital regional do Queijo Serra da Estrela ao receber um certame organizado por três autarquias – Seia, Gouveia e Fornos de Algodres. Aproveitando o evento, o autarca local, Filipe Camelo, anunciou a intenção de criar um Centro de Investigação do Queijo.

Três municípios juntaram-se e levaram a cabo a primeira Feira Regional do Queijo Serra da Estrela. Uma união elogiada pelos dois membros do Governo que visitaram o certame na manhã do sábado passado, dia 5, em Seia, e que esperam que mais concelhos da região se juntem no futuro, já que atualmente apenas estão envolvidas as autarquias de Seia, Gouveia e Fornos de Algodres, constituindo a Comunidade Intermunicipal da Serra da Estrela.

O autarca anfitrião, Filipe Camelo, salientou o objetivo de valorizar e promover o Queijo Serra da Estrela, “criando sinergias, racionalizando recursos e promovendo ganhos de escala económica significativos ao produto mais representativo da nossa região”.

O presidente da Câmara de Seia destacou o papel do pastor, “muitas vezes esquecido e visto como uma profissão menos digna,” mas também as indústrias que produzem o queijo pela via industrial. “Este é um setor de futuro, no qual os nossos jovens deverão continuar a apostar, sem medos, vergonhas ou receios. É rentável, porque é um produto que tem mercado, que tem uma marca, que tem um nome forte, que gera valor acrescentado”, realçou.

Gamado aqui