Archive for the ‘Ornitologia’ Category

>Observação de Aves na Albufeira do Azibo

>

(Foto) Ivo Pires

No próximo dia 22 de Maio, a Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros promove nova sessão de observação de Aves na Paisagem Protegida da Albufeira do Azibo (PPAA).

O início está marcado para as 08.30h na Praia da Ribeira. Nesta sessão, já com a primavera em toda a sua plenitude, os participantes poderão conhecer e identificar algumas das aves residentes e outras migratórias, que escolhem a PPAA nesta altura do ano para nidificarem.

A PPAA, pela sua situação geográfica e características ecológicas, desempenha um importante papel tanto no habitat residencial de espécies, como no de diversas em trânsito.

A sua área possui um apreciável património de avifauna intimamente associado ao seu enquadramento geográfico e à rica diversidade de flora e habitats que ladeiam todo o seu espelho de água.

As aves são bons indicadores da qualidade ambiental e o seu estudo e monitorização constitui uma forma relativamente simples de obter informação sobre o meio em que vivemos. Além destes aspectos técnico-científicos, a observação de aves é uma actividade lúdica que possibilita um saudável e interessante contacto com a natureza.

Gamado, aqui.

Anúncios

>O Cagarro está de parabéns!

>

O cagarro foi escolhido como a Ave do Ano em Portugal pela da Sociedade Portuguesa para o estudo das Aves (SPEA), revela nota enviada à comunicação social.

O cagarro, também conhecida por cagarra ou pardela-de-bico-amarelo, é uma ave marinha que nidifica no Continente, Açores e Madeira, regressando nesta época do ano aos seus territórios de reprodução, depois de uma longa viagem pelo Atlântico Sul.

É uma ave marinha pelágica, o que significa que apenas vem a terra para nidificar, sobretudo em ilhas e ilhéus.

O cagarro, com estatuto Vulnerável segundo o Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal, tem 75% da sua população mundial nos Açores.

Gamado, aqui.

>Ilhas Santuário para as Aves Marinhas (Açores)

>

O projecto “Ilhas Santuário para as Aves Marinhas” comprovou que as acções de recuperação dos habitats naturais estão a obter resultados muito positivos nos Açores, com o regresso dos cagarros (Calonectris diomedea) e a recuperação da vegetação natural do Ilhéu de Vila Franca do Campo.

Os técnicos do projecto LIFE+ “Ilhas Santuário para Aves Marinhas” visitaram o Ilhéu nos últimos dias para verificar o sucesso das plantações de milhares de plantas nativas dos Açores efectuadas em Outubro e para dar continuidade as acções de controlo de espécies exóticas, e comprovaram o sucesso das acções planeadas e realizadas até agora.

O projecto está a ser coordenado pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) em parceria com a Secretaria Regional de Ambiente e do Mar e, desde 2009, os trabalhos têm sido conduzidos no sentido de recuperar os habitats naturais do Ilhéu de Vila Franca do Campo. Em Outubro passado foram plantadas milhares de faias-da-terra e de urzes. Agora, constata-se que apresentam bons resultados de enraizamento e que ocupam, assim, o lugar anteriormente preenchido por espécies invasoras como a cana e a lantana.

Durante a visita, os técnicos da equipa de projecto puderam ainda observar vários sinais de recuperação natural de outras plantas endémicas dos Açores, que são bons indicadores do sucesso das acções levadas a cabo pelo projecto. Para além de centenas de pequenas urzes a nascer nas áreas mais solarengas, detectaram-se também tufos de bracel-do-mato e outros endemismos como a erva-leiteira, ou a figueira-brava que se expandiram de forma natural para as áreas onde têm sido controladas as canas e outras espécies exóticas.

As áreas intervencionadas apresentam claros sinais de recuperação e a equipa continuará a acompanhar a evolução destes habitats e a monitorizar o seu uso pelas aves marinhas.

“Este projecto prova que é possível conciliar a recuperação ambiental com o usufruto humano, desde que mantidas e respeitadas as capacidades de carga identificadas”, mencionou o director regional dos Assuntos do Mar, Frederico Cardigos. “Como se comprova, o limite de 400 pessoas por dia na época alta não prejudica o ambiente e está compatibilizado com as acções de conservação da natureza.”

Pedro Geraldes, coordenador do projecto refere que: “Estamos muito contentes com estes sinais e por começarmos a ver os resultados de muito trabalho árduo no ilhéu! As muitas pessoas que conhecem, visitam e desfrutam o Ilhéu poderão verificar as condições que teria antes da sua ocupação humana e as características naturais do ilhéu. Sendo esta uma Reserva Natural, é uma
boa forma de podermos apresentar aos visitantes um “cartão de visita dos Açores” com a natureza no seu estado mais puro. Muitas das espécies que aqui existem há dezenas de anos foram introduzidas durante a sua utilização para fins agrícolas e possuem natureza infestante, como é o caso do metrosídero, originário da Nova Zelândia, do Incenso, natural da Austrália ou da Cana, uma das mais prejudiciais plantas infestantes dos Açores.”

Para além da SPEA e da SRAM, o projecto conta ainda com a parceria da Royal Society for the Protection of Birds e dos municípios do Corvo e de Vila Franca do Campo. O Ilhéu de Vila Franca é uma das áreas principais de intervenção deste projecto financiado pelo Programa LIFE+ da Comissão Europeia e conta também com o apoio do Clube Naval de Vila Franca do Campo.

Fonte: http://www.spea.pt

Observação de aves (Serpa)

Inscrições gratuitas e obrigatórias até 5 de Janeiro: Gabinete de Extensão Rural e Ambiente da Associação de Defesa do Património de Mértola :: telef: 286 610 000 :: interambiental@adpm.pt

Recomendações: calçado e roupa confortáveis. Pode levar guia de observação e binóculos.

Org.: ADPM
Parceria: Câmara Municipal de Serpa

Exposição de Aves Canoras e Ornamentais (Moita)

Decorre este fim de semana, entre 29 de Outubro e 1 de Novembro de 2010, no pavilhão municipal de exposições da Moita, a 6ª Exposição de Aves Canoras e Ornamentais.