Archive for the ‘Província de Trás-os-Montes e Alto Douro’ Category

Hortas comunitárias (Torre de Moncorvo)

(imagem daqui)

Economia, produção local, consciencialização ambiental: uma excelente iniciativa da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo.

“A medida vai beneficiar 150 famílias. As hortas serão criadas num terreno do município situado na Quinta da Fonte de Carvalho (…) “A cada munícipe interessado é atribuído gratuitamente um talhão de 30 a 50 metros quadrados onde pode dedicar-se à agricultura e cultivar verduras e legumes, árvores de fruto, plantas medicinais, aromáticas e condimentares”, explica o município.” (sacado daqui)

Cultibos, Yerbas iSaberes – Biodiversidade, sustentabilidade e dinâmica emTerra de Miranda

O Museu da Terra de Miranda, em Miranda do Douro, apresenta até ao dia 2 de Outubro a exposição Cultibos, Yerbas i Saberes — Biodiversidade, sustentabilidade edinâmica em Terra de Miranda, elaborada pelo Ecomuseu Terra Mater e pela Frauga – Associação pelo desenvolvimentointegrado de Picote.

A inventariação do saber etnobotânico do planalto mirandês, a promoção de práticas e produtos tradicionais, o apoio ao desenvolvimento local, a preservação da biodiversidade, a conservação dos ecosistemas agrários e da paisagem são alguns dos temas abordados.

Estas questões complexas e cuja importância já é reconhecida são ilustradas por objectos artesanais obtidos a partir de plantas selvagens ou cultivadas da região.

(Horário: 3ª-feira: 14h30 -18h; 4ª-feira – domingo: 9h30 – 12h30 e 14h – 18h)

Fonte: Câmara Municipal de Miranda do Douro

Olivicultores transmontanos esperam um «ano regular»

Os olivicultores transmontanos esperam que a campanha que se aproxima corresponda a um ano médio com uma colheita de 90 milhões de quilos de azeite, embora as previsões estejam ainda dependentes dos imprevistos do tempo.

«Contamos com um ano regular, ou seja, uma produção sem grandes oscilações», disse hoje à Lusa António Branco, presidente da Associação de Olivicultores de Trás-os-Montes (AOTAD).
O azeite é a segunda produção com maior peso na economia transmontana, a seguir ao vinho, movimentando anualmente cerca de 27 milhões de euros.

O sector tem sido afectado, nos últimos anos, por intempéries, nomeadamente as geadas de 2007 que queimaram milhares de árvores, e que têm contribuído para que num ano regular a produção ronde os 90 milhões de quilos, quando podia atingir os 120 milhões em condições favoráveis, segundo contas da associação.

Ver artigo completo aqui

Feira de Burros – Mostra de Asininos de Miranda

O Município de Miranda do Douro, Associação para o Estudo e Protecção do Gado Asinino (AEPGA) e a Comissão de Festas da Nossa Senhora do Naso, realiza no próximo dia 4 de Setembro, a IX Edição da Feira de Burros – Mostra de Asininos de Miranda,  no Recinto do Santuário da Senhora do Naso, aldeia de Póvoa, concelho de Miranda do Douro.

Segundo a  AEPGA esta iniciativa pretende “ser revitalizadorade antigas tradições e promover a única Raça de Asininos reconhecida em Portugal – Raça Asinina deMiranda”.

São muitas as atividades que fazem parte  do programa daFeira ; a tradicional gincana de burros, o desfile de burros ornamentadoscom antigos artefactos e uma mostra para eleger os melhores exemplares daraça.

Fonte: Câmara Municipal de Miranda do Douro

Rainforest em Murça

Murça vai acolher nos dias, 6, 7, 8, 9 e 10 de Setembro e pela 9ª vez consecutiva, a mítica prova de TT Aventura o RAINFOREST 2011 PROVA INTERNATIONAL DE TRIAL 4×4.

O seu principal atractivo e finalidade consiste nas dificuldades existentes ao longo do seu espectacular percurso dado que, na sua maior parte, a competição desenrola-se em terrenos praticamente impraticáveis, mesmo para veículos de todo-o-terreno.

Tendo, desde a 1ª edição (2003), um forte apoio da Câmara Municipal de Murça, cabendo ao seu presidente, João Teixeira, a principal responsabilidade, desta importante aposta, que desde a primeira hora, teve a visão da reconhecida vantagem para Murça em apostar na promoção da gastronomia, dos vinhos, azeites e outros produtos locais, assim como o turismo de qualidade, os usos, costumes e tradições, aliados à beleza natural, é sem dúvida um património riquíssimo do concelho murcense, podendo assim aproveitar as vantagens promocionais deste projecto, proporcionado pela cobertura por parte dos Média e pela vinda e fixação a Murça durante os dias da prova, fruto da grande popularidade do desporto automóvel.

A prova deste ano vai contar novamente com a participação dos 30 concorrentes permitidos regulamentarmente, estando já assegurada a vinda de pilotos de vários países estrangeiros, que aliados aos melhores pilotos Portugueses, decerto vão assegurar mais uma vez o sucesso da prova, garantindo desde logo o maior espectáculo para o muito público que normalmente acorre a Murça.

A prova este ano à semelhança de 2010 inicia-se em Vimioso, com 2 dias de provas, uma paragem em Mirandela dia 05 e depois entra na fase final com 5 dias consecutivos de provas em Murça.

Gamado, aqui.

Rio de Onor

Rio de Onor (imagem daqui)

Se bem se lembram, passámos por Rio de Onor naquele fim-de-semana em que os manifestantes anarquistas se esqueceram de fazer turismo em Trás-os-Montes.

Rio de Onor é uma atracção turística há muitos anos e terá inspirado as gentes do Couto Mixto, onde estivemos a semana passada, a fazer o mesmo. Em Rio de Onor é mais fácil, pois não é uma memória histórica mas uma realidade actual; os habitantes não têm privilégios mas foram esquecidos pelo tratado de 1864 e, até hoje, a aldeia permanece dividida ao meio.

Imagem aérea de Rio de Onor com indicação de fronteira (imagem daqui)

Continua a chamar-se Rio de Onor do lado português e Rihonor do lado espanhol. E não se vê a si mesma como duas aldeias, mas apenas como um povoado único, com um linguajar próprio, misto e aparentado ao mirandês. Quando muito, há o povo de cima e o povo de baixo.

(imagem daqui)

Claro que, como todo o interior, sofre com a desertificação. Hoje são já poucos os habitantes, mas vale a pena ir até lá e ver como uma aldeia em 2 países, com 2 línguas, sobreviveu durante séculos como se essa linha simplesmente não existisse. …a partilha de um forno comunitário, a partilha de terrenos agrícolas comunitários e de um rebanho, pastando nos terrenos comunitários.
“Ademais”, como diriam nuestros hermanos, “los dos únicos bares del pueblo (el centro cívico y la Cervecería Prieto) se encuentran en Portugal, mientras que la única tienda, que vende comida, detergente y demás se encuentra en España.” (fonte)

Feira do Fumeiro de Vinhais (imagem daqui)

Estamos a apenas 27km de Bragança, e dentro do Parque Natural de Montesinho. O Douro pode ser atravessado de cruzeiro, pelos mais calminhos, ou de canoa pelos mais desportistas; pode-se receber massagens na Serra de Bornes, ou ir a Mirandela em busca das célebres alheiras, ou até Vinhais, onde tanto pode haver chegas de touros de raça mirandesa como a já célebre Feira do Fumeiro. Rio de Onor é mais uma paragem numa região que tem tanto para oferecer!

fronteira em Rio de Onor (imagem daqui)

Ironicamente, numa aldeia “comunitária”, a União Europeia podia ajudar a trazer um novo futuro à aldeia. Rio de Onor tem o estatuto de Aldeia Europeia, o que se traduz em apoios comunitários para recuperação de casas e outro património. Mas, mais uma vez, faltam os jovens… o que será necessário para percebermos que o melhor de Portugal até pode chegar a Espanha?

Feira da Maça, Vinho e Azeite de Carrazeda de Ansiães

Carrazeda de Ansiães recebe a partir do próximo dia 26 de Agosto a XVI edição da “Feira da Maça, Vinho e Azeite”.

O certame é mais uma vez organizado pela Câmara Municipal e tem como objectivo apresentar os principais produtos que integram e dinamizam a economia do concelho.

A XVI “Feira da Maça, Vinho e Azeite” estende-se até ao dia 28 de Agosto e este ano o programa é constituído por muita animação musical e por algumas actividades culturais, onde se salienta a realização de um cortejo etnográfico e a apresentação publica de um nova edição impressa sobre o concelho de Carrazeda de Ansiães.

Gamado, aqui.