Archive for the ‘Cultura e Património’ Category

Imóvel de interesse público dá lugar a hotel (Vila Franca de Xira)

Imagem daqui

A primeira fábrica de curtumes portuguesa, fundada em 1729 e encerrada nos anos 40, vai ser reabilitada.
“A ideia de construir um hotel-residência para idosos na Quinta da Fábrica, em Povos, logo a seguir à sede do concelho, já tem mais de 10 anos, mas defronta-se há muito com dificuldades legais. O projecto contempla um edifício de cinco pisos com uma área de construção de 18.906 m2 e, para além das áreas de alojamento numa zona protegida pela encosta do santuário do senhor da Boa Morte, prevê uma piscina e pavilhão polivalente.” (sacado daqui)

Humor: Troika impõe portagens na Torre (Ucanha)

Torre da Ucanha (imagem daqui)

Os representantes da Troika, que negociou o empréstimo internacional que salvou Portugal da bancarrota, sugeriram uma nova medida para conter o défice: a cobrança de portagens na Torre da Ucanha (concelho de Tarouca, distrito de Viseu).

A Troika argumenta que “a construção de Ucanha foi admiravelmente desenhada para sacar trocos de quem lá passasse e não há qualquer razão para que não possa voltar a ter as suas antigas funções.”

Quanto ao facto de a ponte sobre o rio Varosa já não permitir trânsito automóvel, a Troika sugeriu que “na Ucanha basta que seja portajado quem lá passa, devendo os animais e veículos de tracção animal ser considerados de categoria 2 ou 3. Quanto aos automóveis, contamos que o vosso organismo de estradas se apresse a colocar portagens em tudo o que tenha mais que uma faixa para cada lado.”

(Atenção: esta notícia é rigorosamente falsa e com intenções humorísticas. Não nos responsabilizamos se as Estradas de Portugal vierem a portajar IP´s e IC´s por esse país fora.)

Descoberto troço do alambor (Tomar)

alambor (imagem daqui)

Antes de mais: alambor é uma rampa muito inclinada, construída na base das muralhas de um castelo, com o objectivo de dificultar a aproximação de torres de assalto ou a destruição da parede. Foi uma técnica trazida do Médio Oriente pelos Templários, pelo que o alambor de Tomar será o maior do país.

A Câmara Municipal de Tomar anunciou a descoberta de um troço do chamado alambor nordeste, durante a execução de obras, e o IGESPAR já terá dado indicações para a sua preservação. (daqui)

Estação de S. Bento reconhecida na América (Porto)

Estação de S. Bento, Porto (imagem daqui)

A ideia que eu tinha da estação de S. Bento era de um quadrado entalado entre a Avenida Marechal Gomes da Costa e a Rua de Santo António, num tabuleiro de Monopoly.

A primeira vez que entrei na verdadeira estação de S. Bento, fiquei de boca aberta – o meu desconhecimento do património do Porto, e do Norte em geral, é crasso – e a pensar que se tratava de um monumento turístico de interesse por si mesmo. Para mais, os seus azulejos estavam em fase de restauro, o que indicava que pelo menos ali a cidade estaria no caminho certo…
Eis que a revista norte-americana Travel+Leisure vem agora reconhecer o valor de S. Bento, colocando-a na lista das estações mais belas do mundo, a par das norte-americanas de Los Angeles e Nova Iorque, da Gare du Nord de Paris ou da Atocha de Madrid – e até da de Maputo, construída pelos portugueses também no início do século XX.
Estas classificações valem o que valem… mas porque não se lembraram, esses senhores da revista americana, da Gare do Oriente?
(daqui e daqui)

Machado de Castro: mais que um museu (Coimbra)

Criptopórtico romano (imagem daqui)

“Museu Machado de Castro foi o que mais cresceu em número de visitantes.” Ah pois é! Quando um museu não se limita a conservar o seu espólio e abrir a porta e vai mais além disso, dinamizando actividades e envolvendo-se com a comunidade, os resultados aparecem!

“A comemorar cem anos de existência, o Museu Nacional de Machado de Castro (MNMC) vive dias de satisfação, (…) dia após dia, cresce o número de visitantes neste espaço museológico que ainda tem apenas uma pequena parte em funcionamento. (…)  no primeiro semestre de 2011, o MNMC teve o maior crescimento percentual de visitantes dos museus portugueses, com mais 127% relativamente ao mesmo período do ano anterior. Pelo museu passaram, na primeira metade do ano, mais de 30 mil visitantes, quando no mesmo período de 2010 foram cerca de 13 mil.


(…) «temos valorizado sempre a relação com diversas entidades e instituições, integramo-nos em eventos da cidade, promovemos campanhas e projectos internacionais». Mais, lembra que desde 2009, altura em que reabriu parte do museu (que se encontrava encerrado na totalidade para obras desde 2004), houve grande preocupação com a programação, especialmente intensiva no mês de Maio (mês dos museus), um esforço de abertura fora de horas, bem como programas criados especialmente a pensar no público escolar. «Há sempre motivos diferentes nos meses desse semestre», frisa a directora.(…) (sacado daqui)

De resto, o Machado de Castro tem uma infra-estrutura tão impressionante como desconhecida e que ainda está a ser descoberta pelos turistas, que é o criptopórtico romano….

Festa do Avante faz 35 anos

A festa do Avante faz este ano 35 anos e a tradição vai manter-se. O programa será diversificado, mas vai ter uma forte aposta cultural e política, dado o momento em que Portugal se encontra.

Um dos organizadores da festa, Rúben de Carvalho, lembra ainda que os 35 anos da festa do Avante vêm juntar-se aos 35 anos de carreira dos Trovante e 40 anos de carreira de Sérgio Godinho.

A festa terá lugar no dia 2,3 e 4 de setembro e vai encerrar com um comício do secretário-geral do Partido Comunista Português (PCP), Jerónimo de Sousa, como relata a jornalista da Antena 1, Natércia Simões.

Gamado aqui

Douro Film Harvest (Favaios)

Porque haveriam os eventos internacionais em Portugal de ser realizados exclusivamente em Lisboa ou, quando muito, no Algarve? O Douro Film Harvest vai para a sua terceira edição e realiza-se em Favaios, a capital “norte” do Moscatel.

“Como não podia deixar de ser, a adega local vai estar associada ao evento. O que se vai traduzir em muitas provas de vinho e enoturismo.

Este ano, na terceira edição, o DFH vai trazer convidados como o actor brasileiro José Wilker e também o realizador Cacá Diegues, três vezes nomeado para a Palma D’ouro no Festival de Cannes, que assinou filmes e novelas como “Xica da Silva” e “Tieta do Agreste”, onde trabalhou com José Wilker.

Vai haver também uma retrospectiva de filmes quase desconhecidos do realizador mais velho do mundo no activo, o portuense Manoel de Oliveira. Oportunidade única para ver em sala de cinema filmes como “A Caça” (1964) e “O Acto da Primavera” (1963). (…)
Este certame da sétima arte decorre entre os dias 5 e 11 de Setembro [de 2011]. (sacado daqui)