Archive for the ‘Mundo Rural’ Category

Hortas comunitárias (Torre de Moncorvo)

(imagem daqui)

Economia, produção local, consciencialização ambiental: uma excelente iniciativa da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo.

“A medida vai beneficiar 150 famílias. As hortas serão criadas num terreno do município situado na Quinta da Fonte de Carvalho (…) “A cada munícipe interessado é atribuído gratuitamente um talhão de 30 a 50 metros quadrados onde pode dedicar-se à agricultura e cultivar verduras e legumes, árvores de fruto, plantas medicinais, aromáticas e condimentares”, explica o município.” (sacado daqui)

Anúncios

Mundo rural acorda (Serra da Lousã)

Serra da Lousã (imagem daqui)

São passos tímidos, mas por isso mesmo sustentáveis – e decisivos, a caminho da revitalização do mundo rural.
“A Fundação ADFP (Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional) prepara-se para se lançar em mais um grande projecto que pretende não só criar emprego para desempregados de longa duração e pessoas com deficiência, mas também promover o aproveitamento da Serra da Lousã, com o investimento em actividades de agropecuária.
A pastorícia é uma das grandes ambições da fundação mirandense e, a esta, junta-se ainda a criação de uma unidade de produção de mel, bem como a criação de porcos, javalis ou veados.” (sacado daqui)

Vinte anos LEADER – O que mudou no Mundo Rural?


Ver tudo aqui

Até quando vai resistir o mundo rural?

Residimos ou resistimos?

As principais quebras demográficas da região sentem-se nas zonas rurais. “Haverá muitas zonas e localidades com a morte anunciada”, dizem ao JF. Ainda há tempo para salvamentos?

O tempo o dirá, mas já há geografias da Beira Interior na Beira Interior que se sentirão com a corda no pescoço.

O ritmo das quebras demográficas fazem-se sentir com particular incidência, e apenas com raras excepções, nas geografias mais distantes do eixo urbano que se estende pela A23, constituído pelas cidades de Castelo Branco, Fundão, Covilhã e Guarda.

As cidades e freguesias mais urbanas tendem a mostrar outra resiliência ao fenómeno do despovoamento e são, mais uma vez, as zonas de cariz mais rural a sentiram as mais violentas quebras populacionais.

Paulo Fernandes, vice-presidente da Câmara Municipal do Fundão, especialista em desenvolvimento local em áreas de baixa densidade, refere que “a primeira leitura a fazer é a regional. Toda esta região do Centro Interior está numa perda muito agravada de população, com um envelhecimento galopante e com indicadores altamente preocupantes.

E esta é uma questão regional, por muito que às vezes estejamos aqui a fazer leituras de flutuações entre municípios. A região está num estado de desertificação que mesmo aquelas flutuações existentes dentro dela, das áreas rurais para o arco urbano da A23, começam a dar sintomas de grande fadiga”. Um fenómeno que deve preocupar “ todos”, pois “a situação é muito alarmante em termos de perda de densidades”.

Ver artigo completo aqui

O mundo rural cura os males da cidade (Minho)

Ponte de Lima (imagem daqui

“Deu-se o caso de um primo afastado, de Lisboa, cujo pai, alto funcionário da administração do Estado, o enviou para as margens do Cávado com o fito de se tratar de uma grave melancolia. Ao fim de algumas semanas, o arroz de pato da Tia Henriqueta fez milagres, na companhia de outros medicamentos naturais. O primo, cujo nome agora me escapa, mas que uns anos depois casou com a filha de uma marquesa espanhola, muito redonda e avessa ao pó em cima dos móveis, engordou durante dois meses e regressou de comboio a Lisboa, onde o Cávado, a Serra de Arga, os freixos de Ponte de Lima e o mexilhão de Vila Praia d’Âncora foram declarados nomes sagrados e parte da farmacopeia da família.” (sacado daqui)

>Universidade procura o melhor de Portugal (Querença)

>

Querença (imagem daqui)

E se as universidades criassem projectos que levassem estudantes finalistas a aplicar no terreno e na prática os seus conhecimentos, com o objectivo de ajudar a revitalizar o mundo rural português?
Numa altura em que tanto se fala de aumentar a cooperação entre o mundo académico e o mundo empresarial, eis que surge um projecto a ligar o mundo académico e o mundo rural. E não se trata das academias por natureza orientadas para o mundo rural, mas de um projecto novo e que vem reforçar aquilo que já sabemos aqui nesta casa: Portugal está a redescobrir o seu interior e o seu potencial.

“Um grupo de nove finalistas universitários seleccionados pela Universidade do Algarve apresentou-se ontem na aldeia de Querença, concelho de Loulé. Aqui vão viver e trabalhar nos próximos nove meses, cada um com a sua missão. O objectivo global é dar nova vida a uma terra que está a definhar.” (sacado aqui)

>Feira de Caça, Pesca e do Mundo Rural em Tavira

>

A Biblioteca Municipal Álvaro de Campos foi o local escolhido para a conferência de imprensa de apresentação da 16.ª Feira de Caça, Pesca e do Mundo Rural do Algarve, certame que se realizará nos dias 8, 9 e 10 de Julho, no Parque de Feiras e Exposições de Tavira – em mais uma iniciativa promocional das actividades: cinegética, piscatória, dos produtos da terra, da gastronomia regional e da economia em geral, de entre muitas outras.

A organização do certame é, como habitualmente, da Federação de Caçadores do Algarve, que este ano conta com alto patrocínio da Câmara Municipal de Tavira e, nesse sentido, a conferência de imprensa de apresentação, quinta feira dia 30, pelas 17:30 horas, vai contar com a presença do presidente da Câmara Municipal de Tavira, Jorge Botelho.

À autarquia da Tavira, juntam-se outros apoios essenciais, designadamente algumas autarquias da região, o Ministério da Agricultura do Desenvolvimento Rural e das Pescas, o Turismo do Algarve, o Governo Civil do Distrito de Faro e a Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve, entre outras entidades e empresas.